Dinheiro não compra a felicidade, mas ajuda a adquirir bens que nos trazem a felicidade.  Este e  um dito popular que  faz parte do nosso dia-a-dia, não há como escapar.

Porém ninguém gosta de gastar mais que o necessário, se possível o mínimo, não importa o bem que estamos comprando.  Faz parte de nossa cultura, buscar pelo melhor com o menor custo beneficio.  Com o advento da internet essa busca se tornou mais acessível ainda. No mundo dos aparelhos auditivos isso não é diferente. - Se formos fazer uma busca agora, vamos encontrar inúmeras opções, modelos, tamanhos e preços diferenciados.  Mas neste universo de informações  vamos encontrar também muita coisa que  não procede. Todo o cuidado é pouco.  A cada dia vejo mais isso no consultório, pacientes que me procuram para me mostrar, ou comentar sobre um aparelho auditivo  que se vende na internet  a preços muito módicos. Os  aparelhos que se intitulam  "sem necessidade de médico ou exames", e prometem o milagre de devolver a audição a quem compra-los. Meus queridos! Precisamos lembrar que  a perda auditiva  é um processo longo e lento, que pode ocorrer em decorrência da  idade, da genética, de ototoxidade (uso de medicamentos), por traumas  e uma série de outros motivos.   A perda auditiva  atinge cada pessoa de forma única, exclusiva e  não pode de forma alguma ser tratada de forma tão banal . Quando falamos em perda auditiva nosso primeiro passo é saber  se ela pode ser tratada, por  isso importantíssimo buscar um profissional habilitado, para identificar  qual o melhor opção  para o seu caso.  Uma vez detectada a perda auditiva, passamos ao processo de reabilitação da mesma, é aí que entra a figura do fonoaudiólogo que é o profissional  capacitado para ajuda-lo a encontrar a melhor solução para o seu caso. Pois a escolha do modelo errado além de causar desconforto pode em alguns casos piorar a perda auditiva.

Como dissemos  acima,  a perda auditiva  é um processo único, exclusivo e pessoal, não pode nunca ser  tratado como uma coisa genérica onde um simples amplificador  auditivo vai resolver a situação e pronto!  - E preciso  avaliar o candidato a usuário de  um aparelho auditivo em toda a sua essência, levando em considerações diversos aspectos como;  idade, sexo, capacidade cognitiva, interesses pessoais, estilo de vida, capacidade manual e tantos outros fatores que podem  afetar e interferir no processo de  adaptação  dos aparelhos auditivos. Por isso todo cuidado e pouco na hora de selecionar o modelo, e a procedência de seu aparelho auditivo. Se a oferta de aparelhos auditivos for pela internet sem a realização de um exame e especialmente sem o acompanhamento de um profissional habilitado para isso, tenha uma certeza. Isto não é um aparelho auditivo. Pode ate ser um amplificador de sons, mas não um aparelho auditivo. Começamos esse texto falando da importância de  economizar em nossa cultura, mas com saúde não se se brinca. Por detrás de um aparelho auditivo, existe  uma infinidade de profissionais:  Engenheiros, médicos,  fonoaudiólogos, pesquisas, testes, ensaios e aferições e tantos outros  que  estudaram e  se empenharam para desenvolver a  melhor forma de aplicar as tecnologias existentes para resolver um problema tão  especial quanto  a perda auditiva.   E lógico que todo esse esmero gera um custo.  Outro requisito importantíssimo  é, este produto está regulamentado  junto a ANVISA,  que é o órgão  que regulamenta e supervisiona a origem e qualidade dos produtos de saúde vendidos no Brasil?  Por isto, duvide  e  desconfie  quando alguém ou algum site lhe oferecer um aparelho auditivo, sem o devido acompanhamento de um profissional  e  a custos muito baixos e diferente do que, o mercado  sério e responsável  lhe oferece.  Economizar com certeza é bom, mas comprar gato por lebre não tem a menor graça.